sábado, 25 de fevereiro de 2017

Ilha de Porto Santo


Na Ilha do Porto Santo encontramos um refúgio dourado e azul, um local onde tudo acontece num ritmo calmo, convidando à descontração e ao relaxamento.

Em pleno Oceano Atlântico, com 11 km de comprimento e 6 km de largura, Porto Santo é desde há muito apelidado de Ilha Dourada, devido à sua extensa e fantástica praia de 9 km de areia fina e sedosa banhada por águas azul-turquesa. O clima do Porto Santo, moderado durante todo o ano e com uma temperatura do mar que oscila entre os 17ºC e os 22ºC, faz com que esta ilha nunca perca o seu encanto mesmo nos meses de Inverno.

Em 1418 os navegadores portugueses, João Gonçalves Zarco e Tristão Vaz Teixeira chegaram à Ilha do Porto Santo, primeira das descobertas ultramarinas portuguesas. Tendo sido desviados por ventos fortes da sua rota de exploração da costa ocidental de África, a Ilha do Porto Santo deu-lhes um porto seguro, ganhando assim o seu nome. Em 1446, o Infante Dom Henrique nomeou Bartolomeu Perestrelo governador da ilha, dando-lhe razões para ficar famosa: a filha de Perestrelo veio a casar-se com Cristóvão Colombo, que aqui passou algum tempo nesta Ilha a preparar a grande viagem da Descoberta da América. Hoje em dia é possível visitar a casa do século XV que Cristóvão Colombo terá habitado. Situada em Vila Baleira, exibe retratos de Colombo e também mapas com as diferentes rotas por ele percorridas.

Apesar de pequena, a capital da ilha, Vila Baleira, tem as suas atrações. A cidade está centrada na sua praça principal, à volta do Largo do Pelourinho, e dos Jardins do Infante. As ruas ladeadas de palmeiras e buganvílias são ideais para agradáveis e relaxantes passeios. Os restaurantes abundam, pelo que temos muitas oportunidades para experimentar as especialidades da ilha: espetada de vaca grelhada em pau de louro regada com manteiga de alho, ou o famoso bolo do caco, o pão com batata-doce que é também servido com manteiga de alho. Um passeio pelo cais permite-nos ver o artesanato, feito com matérias-primas locais como conchas, folhas de palmeira, canas e barro. Para um toque de história e cultura, além da casa museu de Cristóvão Colombo, os belíssimos painéis de azulejos na vizinha Igreja de Nossa Senhora da Piedade do século XVII valem bem uma visita.

O Porto Santo anima-se nos dias 23 e 24 de Junho para as Festas de São João em honra do padroeiro da ilha. E a animação continua em Agosto com as festas religiosas de Nossa Senhora da Graça na noite de 14 para 15, da Nossa Senhora da Piedade de 30 para 31 e no final do mês com a Festa das Vindimas. Em setembro, o Festival de Colombo relembra as passagens e vivências deste navegador pelo arquipélago da Madeira, bem como toda a epopeia da época dos Descobrimentos. As celebrações de Natal e da Passagem de Ano continuam até ao Dia de Reis, quando as festividades noturnas incluem visitas para ver a Lapinha (presépio) e na noite de 15 de Janeiro para celebrar o Santo Amaro.

Mas o cartão-de-visita do Porto Santo é sem dúvida a sua praia. Com fama de terem poderes curativos, as areais e águas são ricas em iodo, cálcio e magnésio, tornando-as muito benéficas para o tratamento de reumatismo e doenças dos ossos.

No Centro de Talassoterapia, podemos experimentar um tratamento antisstress e num passeio a pé até à Ponta da Calheta exercitar o nosso corpo. Podemos também libertar o stress de forma mais ativa, praticando uma das diversas variedades de atividades ao ar livre que a ilha oferece- passeios de barco, pesca desportiva, mergulho, windsurf, kite surf, esqui aquático, BTT, ou parapente. Os amantes de golfe podem também dar umas tacadas no Porto Santo Golfe, projetado pelo campeão espanhol Ballesteros.

Em alternativa, podemos passear pela ilha e descobrir a beleza duma paisagem que se formou graças a sucessivas erupções vulcânica num dos vários miradouros: o da Portela, com os moinhos de vento circundantes, o da Pedreira no Pico Ana Ferreira e, no extremo oeste da ilha, o miradouro das flores com vista sobre a Madeira e as ilhas Desertas. A não perder, a subida ao Pico do Facho, o ponto mais alto da ilha com 517 metros e ao Pico do Castelo, de onde se avistam os vales encaixados e os ilhéus que parecem ter sido "semeados" em redor.

Com crianças, podemos visitar a Quinta das Palmeiras e desfrutar de um mini-zoo e minijardim botânico ou então ver a fonte da Areia e a erosão causada pelas águas nas rochas. Para retemperar forças, fazer um piquenique nos Morenos e depois dar um mergulho nas águas cristalinas na pequena enseada do Zimbralinho é uma sugestão que toda a família vai adorar.

Para terminar o dia, bebendo um sumo de frutas ou uma Poncha numa das diversas esplanadas junto à praia, deixamo-nos embalar pelo som mágico das ondas e ao cair da noite, na hora crepuscular, contemplamos um pôr-do-sol indescritível.

Informação retirada daqui
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...