terça-feira, 25 de agosto de 2015

Bloco de gelo gigante à deriva

Um bloco de gelo com mais de 14 mil quilómetros quadrados – o equivalente à área dos distritos de Beja e de Faro – desprendeu-se da plataforma Wilkins, no Antárctico, encontrando-se à deriva no mar de Bellingshausen, no Pólo Sul. Há menos de um mês, a British Antarctic Survey (BAS) alertava para esta possibilidade, dizendo que era um milagre ainda não se ter soltado da plataforma continental.

Investigadores do Conselho Superior de Investigações Científicas de Espanha, a bordo do barco ‘Hespérides’, encontravam-se no local a analisar o ritmo a que se processava o degelo, consequência das alterações climáticas.

Gonçalo Vieira, cientista português com investigações na região antárctica, sublinhou a rapidez com que estes fenómenos se estão a verificar. 'A velocidade a que se processam estas mudanças é surpreendente. Em 2002, a plataforma Larsen colapsou em poucas semanas, mas numa área bem mais a norte. A Wilkins está mais a sul, onde as temperaturas deveriam ser inferiores. É preocupante este aumento de temperatura', afirmou o investigador que esteve há duas semanas na região onde este fenómeno se verificou.

Os investigadores espanhóis acreditam que a subida do nível do mar verificada com a fusão deste iceberg com 14 mil km2 será de 2 milímetros.


A fusão desta plataforma irá libertar nutrientes que vão estimular o aumento de plancton, produzindo maior quantidade de alimento para as espécies locais.

O fluxo dos glaciares terrestres em direcção ao mar vai aumentar com a ausência deste bloco de gelo que funcionava como um travão.

André Pereira
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...