quarta-feira, 27 de maio de 2015

Noções de Climatologia

Qual a relação da temperatura com a latitude?
Quanto menor for a latitude, maior será a temperatura. Por exemplo: no Equador, os raios solares incidem perpendicularmente na Terra, dando lugar a que grande parte da energia seja depositada no solo. Em latitudes mais elevadas, o Sol não incidirá perpendicularmente, quer devido à curvatura da Terra, quer pelo desvio dos raios solares causado pela atmosfera. Deste modo, nem todos os raios solares chegarão ao solo para debitarem calor. O clima de qualquer região terá outras influências além da curvatura da Terra, como sejam a presença de água ou a orografia.


Como é o clima no Polo Sul?
O clima no Polo Sul, melhor, o clima da Antártica, é o mais frio da Terra. É extremamente seco, com uma média anual de precipitação entre 30 e 70 mm. Na maior parte do continente a neve nunca derrete e é comprimida até transformar-se em plataformas de gelo. As massas de ar raramente penetram a fundo no continente.

Quais as principais limitações para a descrição do clima de uma região, utilizando-se a classificação climática?
As características atmosféricas de um determinado local são influenciadas pelas condições existentes no local, resultantes da combinação de algumas grandezas físicas denominadas por elementos climáticos. A classificação de Köppen, a classificação de Thornthwaite e a classificação ecológica podem satisfazer o microclima de uma localidade, mas como tudo em Meteorologia tem as suas limitações. Tudo vai depender dos fenómenos apresentados na natureza. O El-Niño e a La-Niña são seus exemplos.

Há limitações para a descrição do clima de uma localidade, utilizando a classificação climática de Köppen?
Existem vários esquemas de classificação climática, sendo o de Köppen o mais conhecido. É útil quando queremos comparar climas de diferentes regiões, usando principalmente dados de temperatura e de precipitação.

O que é o "Efeito de estufa"?

O efeito de estufa é um processo natural que determina o clima da Terra e faz com que a temperatura da Terra seja superior do que a que seria na ausência da atmosfera. O efeito estufa dentro de uma determinada faixa pode ser considerado como uma coisa boa, pois, sem ele a vida, como se conhece, não poderia existir.

A denominação de efeito de estufa deve-se à analogia com o que acontece numa estufa de plantas: o vidro deixa passar a radiação de pequeno comprimento de onda emitida pelo Sol mas absorve a radiação infra-vermelha emitida pelo solo, dando assim origem a temperaturas mais elevadas dentro da estufa. No caso da Terra é a atmosfera que funciona parcialmente como o vidro da estufa.

A atmosfera é constituída essencialmente por azoto e oxigénio que são transparentes tanto para a radiação emitida pelo Sol como para a radiação de maior comprimento de onda emitida pelo solo. Existem, no entanto, outros constituintes menores da atmosfera, como o vapor de água e o dióxido de carbono, que absorvem a radiação emitida pelo solo. A radiação absorvida por estes gases é, então, reemitida em todas as direções, alguma reenviada de novo para a Terra.

Estima-se que a temperatura média da superfície da Terra, de cerca de 15°C, seria de -18°C na ausência do efeito de estufa.


Normais Climatológicas?

Em Meteorologia uma normal de um elemento meteorológico é o valor médio desse elemento ao longo de um período fixo de anos para um determinado local, região, país ou área geográfica. Num sentido mais alargado, as normais devem consistir num conjunto de estatísticas descritivas que inclui a média, a mediana, o desvio padrão, os quartis, a distribuição de frequências, os valores extremos, etc. dos elementos meteorológicos considerados.

Na Conferência Internacional de Meteorologia em 1935, em Varsóvia, o período compreendido entre 1901 e 1930 foi selecionado como o período internacional padrão para as normais. Posteriormente a recomendação internacional é recalcular as normais ao fim de cada década usando os 30 anos anteriores. As normais que se iniciam, por exemplo, a 1 de janeiro de 1941 terminam a 31 de dezembro de 1970; as normais seguintes iniciam-se a 1 de janeiro de 1951 e terminam a 31 de dezembro de 1980, e assim sucessivamente. A estas normais chamam-se normais climatológicas. Esta prática é usada para ter em conta as variações lentas do Clima. O período de anos considerado para as normais deve ser sempre referido claramente, já que os resultados obtidos para diferentes períodos com a mesma duração raramente são iguais.

Os principais elementos meteorológicos considerados no cálculo das normais são a temperatura do ar (média, máxima e mínima), a pressão atmosférica, a precipitação, a humidade do ar, a insolação, a nebulosidade, a evaporação e o vento. Estão igualmente incluídos neste conjunto o número de dias em que ocorreu neve, granizo ou saraiva, trovoada, nevoeiro, orvalho e geada.


E em Portugal? O clima está a mudar?

A temperatura média do ar tem estado a aumentar desde meados do século XIX. Este aumento, depois de retirado o ‘efeito de ilha urbano’, é estimado em 0.0074°C/ano.
 - A amplitude térmica diária, diferença entre a temperatura máxima e a temperatura mínima, está a diminuir desde 1946. Esta diminuição deve-se ao facto de as temperaturas mínimas estarem a aumentar mais do que as máximas.
 - A quantidade de precipitação está a diminuir em março.
 - Nas últimas duas décadas houve um aumento na frequência e na intensidade de situações de seca.
 - A temperatura da água do mar junto à costa ocidental tem estado a aumentar desde 1956. Esse aumento é similar ou superior ao aumento da temperatura do ar para o mesmo período.


O clima da Terra está a mudar?

A análise de um grande conjunto de observações mostra mudanças recentes no sistema climático, estas conclusões foram apresentadas numa publicação de referência (Climate Change 2001: The Scientific Basis. IPCC Third Assessment Report):
- A temperatura média global à superfície aumentou cerca de 0.6°C no século XX. Registos desde 1861, mostram a década de 1990 como a mais quente, e o ano mais quente o de 1998. Em média, entre 1950 e 1993, a temperatura mínima diária do ar aumentou cerca de 0.2°C por década, o dobro do aumento da temperatura máxima diária.
- No mesmo período, entre 1950 e 1993, a temperatura da água do mar aumentou cerca de metade do que a temperatura média sobre o continente.
- Dados recolhidos de satélites mostram que houve uma diminuição de cerca de 10% da área coberta de neve e gelo desde o fim da década de 60.
- O nível médio da água do mar subiu entre 0.1 e 0.2 m durante o século XX.

Em que sentido se deve usar o termo “condições climatéricas”?
É correto, por exemplo, dizer que numa determinada data e hora, o estado do tempo que se caracterizou por chuva intensa, obrigou à interrupção de um jogo de futebol.

É incorreto dizer que foi devido às condições climáticas ou climatéricas. Por outro lado, por exemplo, é correto dizer que as condições climáticas de Atlanta, nos meses de Julho e Agosto, com temperatura do ar e humidade relativa elevadas, podem prejudicar o desempenho dos atletas.

Diferença entre Tempo e Clima?

O tempo num dado local e num dado instante é definido por um conjunto de elementos atmosféricos: temperatura do ar, vento à superfície, pressão atmosférica, nebulosidade, humidade relativa do ar, etc.

O clima é uma síntese dos estados de tempo característicos de um dado local ou região num determinado intervalo de tempo definido. Para definir o clima recorre-se à estatística e utilizam-se valores médios, valores extremos, probabilidades de ocorrência ou de excedência, etc. O tempo e o clima são, portanto, duas formas de descrever as mesmas variáveis mas utilizando diferentes escalas temporais.

http://www.ipma.pt/


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...